março 28, 2022

Mindful Workation para nómadas digitais na Gran Canaria

Como podemos ter uma vida equilibrada, conectada e consciente enquanto trabalhamos pela internet?

Escrevi este artigo para partilhar a minha experiência num retiro direccionado a Nómadas Digitais, que incluiu práticas de Mindfulness e Mastermind. Para quem está habituado a estes termos, eu chamaria a esta experiência de Mindful Workation para nómadas digitais, com Mastermind. Mas vou explicar abaixo cada um destes termos e em que consistiu, afinal, esta experiência.

O retiro aconteceu numa quinta lindíssima no sul da ilha da Gran Canaria, após uma conferência de dois dias: Thriving Nomads Conference 2022, com a qual também colaborei.

Esta experiência surgiu de uma colaboração entre os Thriving Nomads e Boderless Retreats e o objetivo do evento foi de juntar pessoas de todo o mundo que trabalham remotamente em projetos de impacto social e ambiental, para trocarem ideias e experiências, inspirações, e pô-las a trabalhar em conjunto, num modelo de vivência comunitária, onde se combina um estilo de vida de trabalho remoto com práticas de mindfulness e de bem-estar. 

Este artigo é para ti? Este artigo pode ser interessante se gostas de desenvolvimento pessoal duma forma geral, ou se recentemente começaste a trabalhar de casa, em teletrabalho, e estás a deparar-te com alguns desafios em termos de equilíbrio pessoal. Se procuras começar a trabalhar online, podes ter aqui alguma inspiração sobre este estilo de vida e com que comunidades te poderás relacionar.
Vou então explicar um pouco melhor estes conceitos, que integram várias áreas, e partilhar um pouco a minha experiência.



Neste artigo vou partilhar:

  1. O que me levou a participar nesta experiência
  2. Workation para nómadas digitais, o que é?
  3. Mindful Workation com Mastermind, em que consiste?
  4. Os meus melhores momentos
  5. O que aprendi com esta experiência
  6. Como manter o espaço de retiro vivo por mais tempo?
  7. Conclusões

1. O que me levou a participar nesta experiência

Como sabes, há vários anos que tenho vindo a viajar e a explorar projetos de impacto social e ambiental, comunidades sustentáveis, práticas de bem-estar no corpo e mente, sempre nesta missão de ir construindo o meu próprio estilo de vida.

Quando soube que o meu amigo João Mendes e a sua equipa dos Thriving Nomads estavam a planear organizar um evento para nómadas digitais, onde iriam integrar todas estas dimensões, achei que era a minha cara e imediatamente prontifiquei-me a ajudar na organização.


2. Workation para nómadas digitais, então o que é?

Um nómada digital é alguém que, porque trabalha pela internet e não depende duma localização geográfica fixa, utiliza essa liberdade para viajar de forma contínua.

A palavra workation vem de work (trabalho) + vacation (férias) e, no fundo, pretende ser um programa para quem trabalha remotamente poder ter uma experiência de grupo que combina momentos de trabalho e de férias em conjunto.

Estes programas surgem muitas vezes para combater o sentimento de solidão de quem trabalha online, muitas vezes sozinho em casa, e também como uma expansão da rede de contactos e networking para empreendedores e freelancers.




3. Mindful Workation com Mastermind, em que consiste?

A ideia foi então associar a uma Workation um programa de Mastermind, ou seja, momentos de partilha e colaboração entre os projetos dos participantes. Cada pessoa traz um objetivo de trabalho para cumprir no final daquele tempo e usa as sessões de Mastermind para trocar experiências e visões, fazer parcerias e criar, sobretudo, um sentimento de compromisso de grupo.


Destes dias de trabalho na quinta surgiram vários novos projetos e ideias. Nomeio, por exemplo:
- O blogue pessoal da Caroline: 
Já há muito tempo que a Caroline queria criar um blogue pessoal para partilhar as suas experiências, mas faltava-lhe o impulso. Sabia exatamente o que precisava, tinha o material que precisava, mas faltava-lhe criar esse espaço na sua vida e algo que a "obrigasse". A workation foi o momento certo para o fazer!




Tivemos ainda uma palestra presencial do Daniel Herrera da Comunify sobre a gestão de comunidades de impacto positivo em plataformas descentralizadas. Pertinente, nos tempos que correm, sabermos que existem plataformas sobre as quais temos mais poder e controlo, não estando à mercê dos grandes grupos de controlo de informação.




Associamos ainda momentos de práticas Mindfulness, como por exemplo, Meditação, QiGong, Breathwork, Mindful Walk, Ecstactic dance, envolvidas num espaço seguro, desenhado para promover a empatia, a conexão e o trabalho de grupo, tão característicos de um Retiro.




É um programa inédito, que uniu o projeto Thriving Nomads com Boderless Retreats. O primeiro focado mais nas atividades de mastermind entre projetos de impacto social e ambiental e o segundo mais focado na integração desta componente mais de negócio com um estilo de vida saudável no corpo e mente.
Um match verdadeiramente explosivo e essencial para viver uma vida equilibrada!



4. Os meus melhores momentos

Houve um dia especialmente maravilhoso, desde que acordei até que me fui deitar.
Começamos o dia com breathwork e, após esse trabalho de respiração, senti-me em paz. Consegui fazer o meu Journaling à tarde, ao sol, e terminámos o dia a cantar e a dançar.
O momento mais alto foi entre a equipa de organização, tendo sido já os últimos a fecharem a "pista de dança", abraçados a cantarmos de forma emocionada a música "New York New York", de Frank Sinatra. Foi um "well done team"! Estamos Juntos!
É muito bom quando a malta que organiza está realmente a vibrar e a desfrutar daquilo que organizou!




5. O que aprendi com esta experiência

A importância de nutrir a equipa

Uma das coisas que fizemos diariamente foi um check-in rápido da equipa. Todos os dias de manhã encontravamo-nos para nos organizarmos em termos de tarefas e ver como cada um de nós estava.
Penso que ter momentos em que nutrimos a equipa de organização é muito importante, porque essa nutrição e conexão irá expandir-se também para o grupo. Ninguém consegue oferecer nada que não tenha em si mesmo, portanto nutrirmo-nos a nós primeiro faz muito sentido, para que possamos nutrir as pessoas que estão à nossa volta.
Na minha opinião, esta deveria ser a forma como todas as empresas vêem os seus colaboradores...


A importância da Organização também participar

Um dos aspetos positivos mencionados pelos participantes desta experiência foi o facto da equipa de organização ter participado nas atividades e, para mim, é assim que faz sentido e é assim que se cria um espaço seguro e de empatia, fazendo todos parte do processo de crescimento coletivo. Dando o nosso exemplo, entregando aquilo que fomos aprendendo e estando disponíveis para receber e aprender, como qualquer outro participante.

Para mim, organizar um retiro é viver uma experiência enquanto comunidade de crescimento. E nós somos apenas as pessoas que proporcionam e seguram o espaço para que a magia possa acontecer.


Organizar retiros

Como estive a participar na fase anterior ao retiro acontecer, na procura do espaço, logística da alimentação, espaço, etc, acompanhei mais de perto este trabalho. E, durante o próprio retiro, aprendi muito com as dicas valiosas da Boderless Retreats, que tem uma forma de criar e abordar os retiros que ressoa muito comigo.


A comunidade é o elemento mais importante

Muito mais do que as condições do espaço, a comida ou as mordomias, as pessoas valorizam a experiência em comunidade. Pertencerem a algo, sentirem-se bem recebidas, aceites, sentirem que têm ali um espaço em que podem ser elas próprias, podem participar, crescer, expandir e estabelecerem relações mais profundas.
Sem destituir a importância duma boa qualidade de serviço, aquilo que fica na memória das pessoas é a conexão e a emoção. É aquilo que conseguiram trocar através do seu campo emocional. É disso que vêm à procura e é disso que se vão lembrar quando regressarem a casa.



5. Como manter o espaço de retiro vivo por mais tempo?

Como podemos trazer este estado e estes insights que temos num retiro, para a nossa vida do dia-a-dia? 

Um dos desafios é sempre o depois, como continuar esta dinâmica, este espaço seguro e de colaboração que aqui criamos? 

Esta tem sido uma questão que tem desafiado a Boderless Retreats a pensar em formas de manter esta comunidade viva fora do espaço de um retiro. Para além destes retiros que combinam trabalho com mindfulness, já começou também a fazer experiências de coliving de 3 semanas, para pessoas que conseguem conciliar o trabalho online com este tempo de retiro, fazendo uma experiência menos intensa do que um retiro, mas mais duradoura e aproximada ao ritmo de vida do dia-a-dia.

Se quiseres saber mais sobre colivings, recomendo vivamente o artigo dos TravelB4Settle: O que é um Coliving? - Melhor alojamento para nómadas digitais.


Outra dinâmica que parece ajudar a sustentar estas práticas é a criação de comunidades online, onde as pessoas se podem continuar a conectar e a crescer em conjunto, mesmo não estando juntas fisicamente e em contexto de retiro. Hoje em dia, com as ferramentas que temos, já existem muitas comunidades online a funcionarem, que servem esse propósito.


6. Conclusões

Este é um conceito bastante diferente do que estou habituada nos retiros em que tenho participado. Aqui há uma combinação de negócio e empreendedorismo com práticas de mindfulness e, por isso, muitas pessoas que vêm a estas workations podem não estar tão familiarizadas com estas práticas de bem-estar pessoal ou até espiritual. Eu diria que aqui o objetivo não é aprofundar espiritualidade, mas sim dar ferramentas práticas que podem ser usadas no dia-a-dia, que ajudam à capacidade de foco, de tomada de decisão, etc. E, portanto, é uma experiência onde qualquer pessoa não ligada a estas práticas poderá enquadrar-se.


Identifiquei-me muito com a forma de trabalhar e a visão da Boderless Retreats e fez-me muito sentido utilizar as atividades de Mindfulness para apoiar a criação de projetos e sinergias de grupo. Senti que a criação de um espaço seguro ao longo da jornada gerou mais conexão entre os participantes. Utilizando este ambiente, este potencial de empatia, este suporte, confiança, para colaborarem juntos e criarem algo em conjunto e se ajudarem mutuamente faz, para mim, uma diferença muito grande em relação a outros retiros que já fiz. Esta experiência foi, para mim, um crescimento coletivo. A criação duma comunidade de trabalho curadora!

Admiro, sobretudo, a forma de estar simples, humilde e focada no que é essencial da Boderless Retreats. No exemplo de vida simples e de cooperação. Tenho uma profunda admiração pelo trabalho que estão a fazer, pela forma como o fazem, muito centrada na experiência coletiva. 

Resta-me agradecer à Boderless Retreats e aos Thriving Nomads pela oportunidade de estar presente numa experiência tão única e tão rica como esta!



Se procuras outras experiências de retiro ligadas ao Nomadismo Digital, recomendo-te leres os meus artigos:

A minha experiência nas Quatro Anas


Se quiseres saber mais sobre esta viagem a Gran Canaria convido-te a leres o meu artigo:

Vida de um Nómada Digital na Gran Canaria



Beijinhos e abraços!

Encontramo-nos na próxima história de desenvolvimento pessoal 😉

Raquel
Digital Nomad, Blogger, Traveller, House & Pet Sitter

Related Articles

0 comments:

Enviar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.