segunda-feira, 20 de julho de 2020

Ideias do que fazer para ajudar pessoas na mudança de vida

Sim, sem dúvida que este momento de abrandar é também para nós. Sinto mesmo essa necessidade.
Se por um lado sinto que há uma brecha e este é o momento de ação, a oportunidade de eu fazer diferente e de ajudar outros a pensarem e fazerem diferente, ao mesmo tempo sinto que este é o momento de eu também descansar, baixar os braços e render-me... Bem, se calhar é uma mistura disso mesmo. Se calhar a nossa paragem também pode ser uma inspiração, não sei. Ontem estava a ler a Sofia de Assunção dizer "E se eu não quiser voltar à normalidade"? E ela estava a dizer que ela, como coach, tinha parado as atividades dela na quarentena, por sentir que a quarentena era um momento também para ela descansar. Que transitamos da era de peixes para a era de aquário e que este é um momento que nos devemos recolher. Achei interessante, pq ela como coach poderia ter mais serviço agora, mas não. Manteve os compromissos mínimos que já tinha para estes meses (ela tinha lançado um programa de coaching até Maio, que manteve), mas deixou as outras atividades. É interessante....
Ela falava também de todos estes cursos e coisas para fazer online e que as pessoas continuam doidas a resistirem ao convite a parar, procurando agora na internet estarem com a mente ocupada. Fez-me tanto sentido! Eu estava a sentir-me "castrada" por apenas ter os 10GB de internet no telemovel, mas olha, pensei, assim aproveito a ler mais livros! Era isso mesmo o que precisava! Já terminei um e ontem comecei um novo :)
Também estou a ligar a net do telemóvel quando estou ao computador, porque é a net do telemóvel que dá net ao computador, mas de resto defini horas em que vou ao telemóvel: uma ao almoço, que é porque ligo ao meu pai por Whatsapp, e depois ao final do dia. And that's it! As pessoas andam malucas com mensagens e mais mensagens sobre o virus, política, etc. Há pessoas que de certeza que passam o dia todo na net só a encaminhar mensagens e notícias, a verem vídeos de treta. Uma vida de vazio... Não quero mesmo entrar nisso e agora quando me mandam essas tretas eu respondo por mensagem a pedir que não me encaminhem mensagens. Se quiserem falar comigo tenho todo o gosto, mas não quero ocupar as minhas caixas de mensagens com vídeos e conversa de treta, senão não faço mais nada. Estava a ser impossível e a consumir a minha energia...


Sabes, sinto que realmente há uma brecha e muita gente viu isso como uma oportunidade e foi logo "aproveitar-se" desse momento para ganhar mais projeção para o seu projeto, para inclusive criar novos projetos e negócios, enchendo de novo a vida das pessoas muitas vezes de banalidades... Parece que num momento em que devíamos parar, nunca houve tanto lixo e distração! Apesar de estarmos todos em casa e relativamente sozinhos, numa me senti com tanta falta de espaço e de silêncio!
Gostava também de contribuir para esta mudança, não sei bem como. Várias ideias já me surgiram, desde cursos online, por exemplo, que podia vender a um preço baixo, mas gostava de fazer algo diferente, sabes? Não queria que fosse mais uma treta para entreter o pessoal... Penso que podia ter a ver com este despertar, mudança de vida, até poderia ter a ver com o nomadismo digital, um lifestyle diferente de vida, para quem anseia uma mudança, mas normalmente esses cursos baseiam-se em partilhar sites onde podes procurar trabalho online, vantagens e desvantagens, mostram muitas vezes que é uma vida de sonho quando isso não é verdade. Tem desafios e são grandes! Eu gostava de dar uma visão mais realista, pessoal, mas mais de desenvolvimento pessoal, talvez, que acho que é isso o que falta. No fundo, como se fosse relacionar o que já está feito. Não iria inventar mais dicas de como arranjar este ou aquele emprego, mas iria talvez integrar e relacionar. Há tanta malta mais especializada que eu a falar de temas tão específicos, mas depois como é que se faz realmente essa mudança? Como se passa desses ensinamentos para a prática, no dia a dia? Afinal, quando as pessoas procuram esta vida estão à espera de quê? Como é que elas chegaram à decisão de quererem seguir este caminho? O que as faz pensar que esta vida lhes vai proporcionar algo diferente?
Quando vejo estes videos de nomadismo digital parecem-me todos muito iguais e não faria sentido fazer mais um igual aos outros... Mas também é difícil criar e fazer diferente, ainda por cima querendo um tema mais abstracto...


Neste momento sinto que há tanta agitação, tanta oferta e tanta distração, que nem sequer vejo espaço para poder criar algo sério e de valor. Por outro lado, nunca as pessoas estiveram tão abertas para receber algo novo...
E acho que com este tempo de quarentena, com familiares a morrerem ou a ficarem doentes, com a crise que ainda aí vem, vai haver muita gente a questionar-se do que anda aqui a fazer, uns a fazerem mudanças de vida, outros a deprimir porque sentem que não têm alternativa. Pode ser um momento para ajudar estas pessoas a construírem devagar caminhos alternativos. Há muita informação sobre o que se tem que fazer para arranjar este ou aquele emprego para se mudar de vida, mas não me parece que haja dicas sustentáveis de como se pode fazer essas mudanças dentro de cada um, ao longo duma comprida jornada... Porque também não é fácil fazer isso! Para isso é que há os psicólogos que fazem acompanhamento... ;)
Lembro-me muitas vezes de como o voluntariado me ajudou a conhecer-me melhor, de como me tem ajudado o meu mapa dos sonhos para me orientar. Para me encontrar quando me sinto perdida, para me orientar na ação dos próximos passos, para perceber como os meus sonhos se relacionam e criam sinergias entre si. Talvez essa dica pudesse ser útil também para outras pessoas!
Mas a ver vamos, com o tempo, a ver o que surge...


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

(Cristina Leite resposta)

Acho que faz todo o sentido essa reflexão que estás a fazer sobre como tornar a tua experiência útil para pessoas que queiram fazer a transição para o digital. A sensação que tenho, nas poucas vezes que procurei informação sobre marketing digital, por exemplo, é que de facto toda a gente diz a mesma coisa e que não acrescenta grande valor a quem está à procura de informação. É um repetir de dicas e segredos, com muito pouca base de sustentação. E tu tens uma visão muito pragmática, uma experiência já longa e muita reflexão sobre o assunto e os desafios dessa transição. E a experiência de voluntariado e de viagem e contacto com projetos alternativos. Acho que é informação rara e valiosa, se a condensares, como fizeste no Espiga, por exemplo.
Muita gente mudou-se para o online agora à pressa e o tempo filtrará quem fica ou não e tu podes dar um apoio mais continuado.


VER OS POSTS DE COACHING QUE JÁ PUBLIQUEI, PARA VER COMO ENCADEAR...

Related Articles

0 comments:

Publicar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.