segunda-feira, 20 de julho de 2020

Encontra o teu propósito, a tua paixão

encontrar a Paixão naquilo que queremos fazer, no nosso trabalho, e alguém dizia que a Paixão não se encontra naquilo que adoramos fazer, mas no que continuamos a mostrar / fazer mesmo quando as coisas não correm da forma esperada. Isto porque é muito certo que as coisas não vão correr sempre bem...

E não é assim também com os assuntos do Amor? 😊




Olá querida Mariana!
Ao longo do tempo tenho descoberto algumas necessidades que tenho, algumas paixões. Sofri muito por causa destas questões do propósito, da missão, etc. Queria dar o salto, mas queria ter a certeza que estava a ir de encontro ao meu propósito, a algo que conhecesse. E a verdade é que eu precisava de dar o salto precisamente para fazer esse trabalho de autoconhecimento



Ou seja, o salto no escuro era necessário para clarificar, porque acho que para fazer a descoberta que queria precisava de muitas experiências. Porque sou insegura. Há pessoas que não têm nenhuma quest



questão com isto. Outras sofrem uma vida inteira...



Mas acredito que com a idade, segurança e o acumular de experiências vamos percebendo



Para mim eu fui(-me) descobrindo através do voluntariado. Foi o meu motor de busca, associado à psicanálise que me ajudava a integrar essas experiências e a conhecer-me melhor.



Mas sinto que dei um salto muito grande principalmente depois de ter arriscado, porque vivi experiências muito diferentes e pus-me à prova várias vezes e aprendemos muito com isso



Fazermos coisas diferentes ajuda-nos muito a descobrirmo-nos



Conhecermos pessoas diferentes também, ambientes diferentes. Va,os percebendo onde está a nossa tribo



Outra coisa que me ajuda muito é escrever e mapear os meus sonhos. É tornar consciente e facilmente visível os nossos sonhos e a relação que eles têm entre si. Analisando periodicamente para mim o que é a minha missão do momento, ou o que me estimula fazer, sentir, etc e registar isso ajuda-me a criar uma espécie de padrão, algo que está sempre presente em todos eles. É nesse padrão que está o nosso propósito e a nossa missão



Ah, e desmistificar a ideia de que o nosso propósito é algo mágico e um trabalho dos nossos sonhos. Tal como no amor, a nossa alma gémea não é o homem perfeito, mas sim o homem com quem precisamos de crescer a determinado momento. Há dias li que a Paixão não se encontra naquilo que adoramos fazer, mas no que continuamos a mostrar / fazer mesmo quando as coisas não correm da forma esperada. Isto porque é muito certo que as coisas não vão correr sempre bem...



O nosso propósito é algo que está inerente em qualquer atividade que façamos, porque ele revela-se da forma mais natural. É a nossa forma de expressão mais natural seja ela em que circunstância for...



Espero ter dado alguma food for thoughts 😉


No meu caso, eu sofria muito por sentir que não estava conectada, que não tinha uma vida congruente, que não estava no sítio certo e desesperava a pensar que podia ser assim para sempre. Isso trazia-me uma ansiedade terrível e acho que era mesmo o que me fazia pior. Pior do que não nos sentirmos a ser/fazer o que somos é ficarmos ansiosos com isso e querermos sair desse estado desesperadamente



Pode estar a acontecer isso contigo também



Depois de ter conseguido resolver algumas coisas na minha vida, outras ainda continuam por resolver, mas acho que o facto de sentir que alguns passos já consegui dar, faz-me agora viver mais calma e confiar que são fases. E quando a onda má vem tento ficar quieta para não fazer disparates e tento tranquilizar-me pq já sei que irá passar. Também sei que voltará novamente. Há coisas que fazem parte de nós e não vamos simplesmente deixar de as sentir. Num momento menos conectado connosco ou num momento de crise elas voltam. Aqui o trabalho acho que é mais de desconstruir, perceber, integrar e arranjar mecanismos de lidar com isso quando vem



Eu também tenho momentos um bocado maníacos e depois depressivos, embora não me tenha sido propriamente diagnosticado nada.
Comecei a aperceber-me que escrevo melhor quando estou eufórica, mais criativa, mas ideias vêm e tudo é possível na minha cabeça. É maravilhoso!
E essa sensação é aditiva. Rapidamente queremos mais, é uma droga. Dormimos menos horas e produzimos muito mais.



A outra fase que vem a seguir é que é pior...



Mas percebi que quanto mais subia maior era a queda, por isso comecei a cortar algum gás às subidas, que era mais fácil cortar o gás na subida que nas descidas...



Agora continuo a ter alguns picos, mas mais tranquilos. Duram menos dias e aguento melhor a espera. Faço sempre o teste do tempo. Se tenho uma ideia espetacular deixo passar uns dias a ver se ela continua a ser espetacular. Se estou muito em baixo tento caminhar mais, fazer exercício e estar mais isolada e dar um desconto aos pensamentos



A mim escrever ajuda-me muito principalmente nesta questão dos picos. Se fizeres uma espécie de diário e de vez em quando leres o que escreveste ao longo de uns meses começas a olhar para ti mais de fora e a "ouvir-te" de fora. Porque no momento em que falas estás a sentir um milhão de coisas e por mais que te conheças estás metida na tua situação. Mas quando les pensamentos teus que naquele momento estás desconectada deles é muito interessante



Também vês os padrões e começas a perceber um ciclo, um padrão cíclico em ti e começas a saber o que vem a seguir. Podes não conseguir tão facilmente mudar quando queres, mas se conheceres como funcionas pelo menos relaxas mais e das um desconto às tuas emoções



Também uso a escrita para me inspirar com momentos bons que tive. Quando estou mais deprimida leio coisas positivas que escrevi e celebro o quão já me desenvolvi como pessoa



Acima de tudo, isto é um trabalho constante, para a vida toda, mas eu acredito que o tempo, a idade também nos vai trazendo mais segurança e menos ansiedade. Vamos ter sempre certas coisas em nós que temos que lidar, mas vamos lidando melhor com elas com o tempo



O importante é não nos castigarmos, não pensarmos que só a nós é que nos acontece. Cheguei a um momento em que percebi que toda a gente tem estas coisas. Eu só era mais consciente dos meus problemas e menos tolerante comigo



Em vez de te focares nas tuas limitações tenta focar-te nas tuas possibilidades. Tens várias coisas com as quais não te sentes conectada. Deixa-as por agora como que a marinar e define um tempo em que vais pegar no resto do teu tempo e vais fazer o que gostas, o que te preenche. O que te apetecer a cada momento, sem precisares de ter uma análise por trás, uma explicação. Simplesmente vive, desfruta e regista as tuas sensações. Quando releres essas experiências pode ser que tenhas aí mais algumas respostas 🙂



Caso tenhas interesse a minha psicóloga é Dra. Clementina de Almeida. Eu regressei às consultas há 2 meses, porque me sinto numa fase novamente de transição, de arriscar, e de precisar de clarificar para dar os próximos passos.
Ela está mais direcionada para os bebés agora. Tem um projeto que é o For babies brain, mas continua a atender adultos. Ela tem um canal de YouTube também



Bem, vou fazer a minha corrrida agora, que entretanto já amanheceu e já vejo a estrada 🙂
5km de corrida ao amanhecer é o melhor que há para a saúde e para o foco 🤓



Um beijinho e partilha sempre que quiseres 🤍



Tem um dia feliz 🌞



Muito grata pelas tuas partilhas, querida! Senti—me mesmo compreendida e aceite. Esse sentimento é tão bom! Sentir que não estamos sós na nossa busca e que estamos ligadas na nossa forma de ser e de sentir... isso traz alguma serenidade e paz e faz refletir tb que se estás a conseguir lidar com isso de uma forma mais serena, então tb vou conseguir ir apaziguando e lidando com estes picos de uma forma mais tranquila, assim o espero! 🙏🍀 obrigada pela referência da tua psicóloga, vou ver o YouTube dela pra já... quanto a este encontro, vou ver de q se trata, o tema agradou—me! Tb gostava mt de falar contigo acerca da viagem q fizeste com o teu namorado... n cheguei acompanhar o blog (podes dizer—mo?), mas adorava ter uma experiência assim, acho q viajar como vcs fizeram deve enriquecer imenso cada um e o casal em si. Eu neste momento n namoro nem as condições monetárias nem mundiais estão favoráveis a viagens, mas é algo que gostava mesmo de me aventurar a fazer, talvez não sozinha, mas com alguém amigo! A dica da corrida de 5km tdas as manhãs é incrível, gostava de conseguir, tenho caminhado diariamente e feito bicicleta estática e zumba (q eu adoro dançar), mas lá está zumba ao fim da tarde depois acelera—me um bocado pra ir dormir cedo... Um abraço grande e olha, estou adorar esta partilha 🙏🍀😘♥🌸

Related Articles

0 comments:

Publicar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.