domingo, 22 de março de 2020

A viagem para Portugal em plena pandemia do Coronavirus

Depois de mais de 2 meses a viajar com cuidados diários reforçados (o vírus já cá andava à solta bem antes de entrar em Portugal), a ideia de nos pormos a viajar agora é mesmo muito louca. Já não tinha ideia de estamos tão próximos das outras pessoas num avião. É assustador!

Os aviões para o Dubai e para Dublin foram super lotados! E a ideia de passar 7h e mais 8h30 a respirar ao lado de alguém que não conheço e não faço a menor ideia se tem o vírus mete muito medo. A ideia de que eu possa estar infetada e a propagar para outros é igualmente assustadora... Por isso usamos sempre a máscara.


Trouxemos o nosso kit diário com máscaras, luvas, desinfetante para mãos e boca e água para nos ajudar a proteger a nós e os outros. Achei que este lenço também me poderia ajudar a proteger os ouvidos e olhos.

Os voos turísticos têm mesmo que acabar por agora e arranjarem-se outras alternativas para as pessoas regressarem a casa. É demasiada falta de controlo da proximidade. O pânico das pessoas regressarem a casa está a lotar os aviões nestas rotas e a fazerem-nas correrem mais riscos. Já não estava tão próxima de um desconhecido há muito tempo. É muito desconfortável!
Na rua conseguimos controlar muito melhor, atravessando a rua, mantendo distância sempre de alguns metros.

Como o primeiro voo estava lotado não conseguimos lugar juntos. Fomos nos lugares do meio... A minha parceira do lado era holandesa e veio passar umas férias e estava de regresso a casa. Contou-me que na ida para o Dubai foi num avião onde uma pessoa ia infetada e por isso passou as férias fechada de quarentena. O último dia de quarentena foi ontem e conseguiu regressar agora. Eu só pensava "Ó meu Deus, onde eu me vim meter..."
Consegui convencê-la a trocar de lugar com o Daniel para virmos juntos e assim foi.


Conseguimos finalmente chegar a Portugal 32h depois de termos saído do Vietnam!
E soube agora mesmo que a nossa companhia aérea vai suspender todos os voos a nível mundial entre 25/3 e 30/6. Ainda bem que viemos a tempo!

E acho que o fizemos, porque tivemos várias pessoas a ajudarem-nos incansavelmente. Desde a companhia aérea, ao meu primo na Agência Abreu, aos nossos amigos que nos iam pondo a par das notícias que podiam ter implicações nos nossos voos, às minhas primas que tanto apoio emocional me deram nestes últimos dias e a todos vocês que colocaram um pouco da vossa energia para torcerem por nós.
Tudo isso fez-me dar a confiança de que poderia avançar e de que tudo iria correr bem.
Por isso muito obrigada por vos ter sentido ao nosso lado 💗


Queria ainda dizer que estou muito contente por termos feito esta viagem com a Emirates. Um atendimento no geral muito bom, com empatia, na tentativa personalizada de satisfazer as necessidades de cada cliente mesmo em situação de crise, e estando eles a trabalharem em call center todos juntos, sujeitos também a contraírem o vírus.
Permitiram-nos alterar os nossos voos umas 5 ou 6 vezes nos últimos dias, face também às alterações e restrições que foram aparecendo e "foram-nos buscar" à nossa cidade no Vietnam através duma outra companhia aérea vietnamita em vez de termos que voar para Bangkok por nossa conta e vieram "entregar-nos" a Dublin em vez de Portugal, pelo facto de não terem tido permissão para voar no espaço aéreo.
Isto tudo para que tivéssemos um bilhete único e minimizássemos assim o risco de ficarmos retidos a meio da viagem.
A partir de Dublin a responsabilidade foi nossa e optamos por voar com a Ryanair. Mais 3 dias e a Ryanair deixará de voar por tempo indeterminado. Just in time!

E finalmente chegamos a terra lusa!

Andaremos em modo de quarentena durante as próximas semanas. Longe de tudo o que se mexe para garantir a segurança de todos 🙏

Related Articles

0 comments:

Publicar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.