quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

E a chama acende-se!

Depois de 2 semanas aqui na ilha a fazer yoga, meditação e workshops ligados ao desenvolvimento pessoal começo a sentir o corpo e a mente a regenerarem-se!
Hoje estivemos 3h num "circle of lovers" e venho para "casa" com o coração cheio! Cheio de amor por mim e pelos outros e com a sensação de ter encontrado a minha tribo em mais um lugar no mundo.
É uma sensação de "cheio", de "imenso", que me transborda e a esperança de manter esta ligação presente ao longo da nossa vida mais nómada.
Que gratidão 💓


segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Bangkok, 4 anos depois... a perder identidade?

Já na Tailândia, em Bangkok!

Bangkok é tão grande, que poderíamos passar aqui um mês inteiro sem chegar a conhecer verdadeiramente a capital!

Há 4 anos estivemos cá e várias coisas mudaram entretanto! A moeda está agora mais forte e começamos a sentir um país "mais desenvolvido", com políticas relativamente ao uso de sacos de plástico nas superfícies comerciais, redução drástica de estabelecimentos de comida de rua por razões de higiene, substituição dos autocarros muito velhos e poluentes, etc. E os chineses começam a comprar cá e os preços das casas a dispararem.

Se por um lado tudo isto é bom para o país e melhor para o planeta, hoje ouvíamos o dono do nosso airbnb, um norueguês que se casou com uma tailandesa e mudou-se para cá, dizer que estas características foram as que o apaixonaram pela Tailândia e que lentamente a Tailândia vai-se tornando num país como tantos outros e perdendo a sua originalidade e encanto.

É interessante como o desenvolvimento e a globalização tendem a pôr os países mais iguais e uniformizados. Com o seu lado bom do progresso e melhores condições de vida e o seu lado menos bom da perda da sua identidade... 😕


sábado, 11 de janeiro de 2020

As nossas impressões do Dubai

Olá! Apenas passámos um dia no Dubai, mas fizemos um vídeo a partilhar as nossas impressões deste dia passado no Dubai. O que mais gostámos, o que menos gostámos e se seria uma cidade na qual viveríamos.



Uma cidade que encontra pessoas de todas as cores, religiões e feitios.

Tal como Istambul, o Dubai também fica num ponto muito estratégico e por isso recebe pessoas de todo o mundo.

Achei interessante perder-me no maior shopping do mundo ou de ver o edifício mais alto do mundo, mas o que mais gostei mesmo foi de me perder pelos bairros dos indianos e africanos. O Dubai não me atraiu particularmente, mas também só visitámos por um dia. A sensação com que fiquei é que é um gigante parque de diversões montado no nada, que junta muitas pessoas à volta da diversão e das compras. Se por cá ficasse uns tempos iria gostar de perceber como é a vida das pessoas que cá vivem, nos diferentes estratos sociais, religiosos, etc e como interagem uns com os outros.

Vemos indianos e outras nacionalidades com trabalhos mais indiferenciados, que provavelmente saíram do seu país em busca de uma vida melhor.

Embora as culturas se encontrem, encontram-se de uma forma desigual.

Nalgumas zonas mais pobres do Dubai éramos os únicos entre indianos e africanos e várias vezes fui a única mulher. Como visitámos no dia de oração deles, equivalente ao nosso domingo, vimos centenas de pessoas a rezarem nas ruas dos bairros. Todo o cantinho serve para colocar uma esteira e fazer a oração!

Em certos bairros vimos anúncios de arrendamento que restringem pessoas de determinada religião. Vemos que diferentes nacionalidades e religiões distribuem-se em diferentes bairros. Tal como em Istambul!

A diferença é que grande parte das pessoas está cá só de passagem, para "usufruir" ou para "servir" uma experiência megalomana.




Beijinhos e abraços e encontramo-nos na próxima história! 

Raquel & Daniel 
Digital Nomad, Blogger, Traveller, House & Pet Sitter 
https://vanrd.com/

sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Dubai e a Multiculturalidade

Uma cidade que encontra pessoas de todas as cores, religiões e feitios.

Tal como Istambul, o Dubai também fica num ponto muito estratégico e por isso recebe pessoas de todo o mundo.
Achei interessante perder-me no maior shopping do mundo ou de ver o edifício mais alto do mundo, mas o que mais gostei mesmo foi de me perder pelos bairros dos indianos e africanos. O Dubai não me atraiu particularmente, mas também só visitámos por um dia. A sensação com que fiquei é que é um gigante parque de diversões montado no nada, que junta muitas pessoas à volta da diversão e das compras. Se por cá ficasse uns tempos iria gostar de perceber como é a vida das pessoas que cá vivem, nos diferentes estratos sociais, religiosos, etc e como interagem uns com os outros.
Vemos indianos e outras nacionalidades com trabalhos mais indiferenciados, que provavelmente saíram do seu país em busca de uma vida melhor.

Embora as culturas se encontrem, encontram-se de uma forma desigual.

Nalgumas zonas mais pobres do Dubai éramos os únicos entre indianos e africanos e várias vezes fui a única mulher. Como visitámos no dia de oração deles, equivalente ao nosso domingo, vimos milhares de pessoas a rezarem nas ruas dos bairros. Todo o cantinho serve para colocar uma esteira e fazer a oração!

Em certos bairros vimos anúncios de arrendamento que restringem pessoas de determinada religião. Vemos que diferentes nacionalidades e religiões distribuem-se em diferentes bairros. Tal como em Istambul!

A diferença é que grande parte das pessoas está cá só de passagem, para "usufruir" ou para "servir" uma experiência megalómana.






quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Largar tudo torna-nos mais leves e ágeis

E cá vamos nós voar novamente!

O largar tudo torna-nos mais leves e ágeis. É como carregar uma mochila mais pequena. Podemos às vezes não ter aquilo que queríamos num determinado momento, mas o facto de termos menos peso possibilita-nos ir a sítios que nunca iríamos com mais peso.

E sim, às vezes há que dar umas reviravoltas e fazer uma limpeza às nossas mochilas...

Até breve!


segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

Quinta da Mizarela, Arganil

Partilho um pequeno video que fizemos de um projeto espiritual muito interessante no centro do País, que visitámos recentemente.

Um casal comprou esta quinta abandonada em 2007, com a visão de criarem um lugar dedicado à libertação do espírito humano num contexto de comunhão com a natureza.

A quinta é muito bonita e está toda pensada para ser o mais sustentável possível.

O vídeo pode ser visto aqui: https://youtu.be/ZjMYb4IPfrI







domingo, 5 de janeiro de 2020

O que escolhemos levar na Mochila para viagem

Olá! Vamos para a Ásia por 3 meses e achámos interessante partilhar os itens que achámos essenciais levarmos nas nossas mochilas!
Talvez possa servir de inspiração para as vossas viagens, ou talvez vocês nos possam inspirar com os vossos truques nesta arte! 

As nossas mochilas têm 40 litros, ao contrário do que eu disse no vídeo e por isso temos sempre que pensar muito bem naquilo que é essencial levar numa viagem. Optámos por viajar com mochilas pequenas, porque nos torna mais ágeis durante as nossas viagens. 

Beijinhos e abraços e encontramo-nos na próxima história! 
Raquel & Daniel 
Digital Nomad, Blogger, Traveller, House & Pet Sitter 
Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.