segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Generosidade na Aldeia de Xisto Cadafaz

Viajamos lá fora e cá dentro e a generosidade das pessoas que nos recebem é muito presente! Mais uma boa ação que nos deixou emocionados!
Foi a vez de duas senhoras, quase a fazerem 80 anos, que nos ofereceram pão, diospiros, salsa e pão de frutos. Também nos ofereceram almoço, mas tivemos mesmo que recusar... Era demasiado!

Tudo começou quando lhes perguntei se alguém vendia pão por aquelas aldeias. Sempre que vamos para zonas mais rurais tento comprar o que lá se faz, mas parece que estas aldeias de xisto estão cada vez mais desertas e já quase ninguém produz nada...
Estas senhoras estavam a conversar à porta de casa e imediatamente nos ofereceram o pão delas, que vem à aldeia numa carrinha, uma vez por semana. Elas compram o pão para a semana toda e congelam.
Quando percebemos que aquele pão era para a semana toda delas dissemos que tínhamos carro, que íamos à cidade mais tarde e compravamos, etc, etc. Mas elas estavam determinadas a alimentarem o "casal que tinha idade para serem netos" delas... :)
Quando demos conta já estavamos no campo delas, a apanhar diospiros e salsa para levar!

Tivemos uma boa conversa com elas e foi mesmo interessante, porque nenhuma das senhoras nasceu naquela aldeia, mas foram lá parar por causa dos maridos, que entretanto já faleceram. Senhoras que trabalharam em Instituições do Estado, conhecem bem outras partes do país, mas que têm ali a sua casinha e querem permanecer no seu espaço enquanto puderem.
Contaram-nos como era a aldeia antigamente, os bailes de dança que lá se faziam e as pessoas que lá moravam. Agora são elas as duas, um senhor de idade e um casal de estrangeiros. Às 3as feiras há uma carrinha que as leva ao mercado a Góis e depois uma vez por semana vai lá a carrinha do pão e da mercearia. Se tiverem que ir ao médico num outro dia/hora vão de taxi. Há dias, uma das senhoras gastou mais de 100€ para ir de taxi a vários locais que precisou de ir.
Falam com imensa tristeza do que perderam naquela aldeia...

Vim embora preocupada que não tivessem pão para o resto da semana...
Só dizia ao Daniel: "Andamos nós aqui nas aldeias a roubar pão às velhinhas" ;)

Fiquei emocionada... Por uma série de fatores, senti que uma parte de mim ficou ali...
Como gostava de fazer alguma coisa para ajudar estas pessoas... Em parte sinto que o fazemos no nosso trabalho com a Pure Portugal, quando ajudamos a trazer pessoas a virem viver para as zonas rurais de Portugal. Mas não é bem a mesma coisa... Aquele tempo nunca mais volta! E estas gentes estão cada vez mais sozinhas e esquecidas...


Related Articles

0 comments:

Enviar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.