terça-feira, 13 de setembro de 2016

Liberdade, como a alcançar?


A tão desejada liberdade... Mas como é que a alcançamos?

Há quem se mate a trabalhar nos primeiros anos para ganhar dinheiro, pensando em assegurar o seu futuro e o dos seus filhos para poder, finalmente, gozar a vida...
Destes, grande parte não chega a usufruir desse momento glorioso, seja porque morre antes disso, ou por não conseguir atingir o seu objetivo. Em ambos os casos, passaram uma vida a preparar um futuro, que afinal foi diferente daquilo que imaginavam...
Outros tentam sair deste ciclo vicioso, vivendo simplesmente o "Carpe Diem", e/ou criando alternativas, para não precisarem de ser "escravos" do sistema.
E há ainda quem nem sequer gaste tempo a pensar no assunto... :)

Cá para mim parece-me que a caça à liberdade é uma corrida sem fim, mas é bom correr por ela, seja lá da forma que for!
E quanto mais corro na sua direção, mais me convenço de que a liberdade não está nas nossas opções, mas sim na forma consciente como as escolhemos! Assim, ser livre é trabalhar para o conhecimento e consciência, mesmo que fisicamente possamos estar debilitados...

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Educação assistida por cavalos, em Portugal


O Vale dos Cavalos, Projeto de Educação Assistida por Cavalos

Fui conhecer o que parece ser o único projeto em Portugal, até ao momento, que utiliza cavalos para desenvolver competências de liderança e comunicação, através de exercícios simples num trabalho em equipa. Os exercícios são feitos no chão, sem necessidade de montar os cavalos, o que permite também que qualquer pessoa possa participar nas atividades e relacionar-se com estes maravilhosos animais de uma forma mais harmoniosa.

Este projeto é de um casal, que teve a amabilidade de nos abrir a porta da sua casa.
É uma possível resposta à exigência da legislação laboral, que prevê um mínimo de 35 horas anuais de formação contínua aos seus colaboradores. No entanto, também se pode dirigir a outros grupos de pessoas e até famílias que pretendam promover este tipo de habilidades.
No fundo, este trabalho pretende analisar o estilo de liderança pessoal de cada participante e o impacto desse mesmo estilo nas pessoas à sua volta, resultando assim num aumento de auto-consciência e de competências interpessoais.
A capacidade de cura e de desenvolvimento de competências através destes animais é enorme. Eu sou um exemplo disso. Ainda me lembro da minha mãe me ter posto na equitação para me desenvolver socialmente. Quando era mais nova era muito "atada", tinha medo de arriscar, de me perder, de fazer coisas novas. E sempre muito medo de falhar. Ter lidado com este tipo de animais durante quase 15 anos fez-me ganhar muito à vontade e determinação, principalmente pelos anos em que fiz competição em saltos de obstáculos. 
Gerir as nossas emoções e dificuldades e mais as de um animal destes requer muito. E aprende-se imenso nesta troca.

Passados alguns anos, sinto que gostava de devolver algo a estes animais, que tanto contribuíram para o meu desenvolvimento como pessoa. Desenvolver uma nova relação com eles, desta vez mais holística, de cooperação e promoção do seu bem estar. É bom sentir que outras pessoas estão também a usufruir das suas qualidades terapêuticas, de uma forma menos competitiva do que foi a minha, aproveitando o melhor que estes animais têm para dar: amor e acima de tudo confiança.

O projeto aceita voluntários que queiram ajudar durante estes cursos. Quem sabe, serei uma das próximas voluntárias :)
Conhecer melhor o projeto aqui.

Alguns vídeos sobre educação e terapia assistida por cavalos (em Inglês):
Leadership Trainig with Horses
Martin Clunes Horsepower Equine Therapy
Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.