sexta-feira, 22 de julho de 2016

CidadeMAIS, 7 a 10 de Julho de 2016

Foi muito interessante como a minha colaboração com o CidadeMAIS aconteceu. Foi numa ida a Lisboa em que fui apresentar a Rede Convergir, que conheci a Sara Silva. Como tinha interesse em envolver-me mais com o movimento de Transição no Porto, aconselharam-me falar com ela. E pronto, a partir daí ela falou-me no evento em que estava a colaborar, o CidadeMAIS, e que até precisavam de ajuda e foi assim que me comecei a envolver com este projeto, que acabou por ser a minha primeira experiência em gestão de Eventos.
É caso para se dizer que é preciso ir a Lisboa para nos envolvermos com os projetos nossos vizinhos do Porto ;)

O que é o CIDADEMAIS?
O CidadeMAIS é um evento que celebra a Cidadania, o Ambiente e a Sustentabilidade em contexto urbano. É totalmente gratuito para os visitantes e inclui iniciativas como: Conferências, Oficinas, Animação, MercadECO, Praça Empresarial, Praça de Alimentação, etc. Decorre anualmente no início de Julho pelos Jardins do Palácio de Cristal. Este evento pretende despertar e informar o público sobre as alternativas verdes que já existem, nomeadamente ao nível das energias, alimentação consciente, saúde holística, etc, e potenciar sinergias entre os projetos.

Eu estive responsável pela Praça de Alimentação e MercadECO, ou seja, o meu trabalho foi de contactar projetos maioritariamente de alimentação saudável e consciente que quisessem estar presentes na Praça de Alimentação, e angariar bancas que se dedicassem à comercialização de produtos que ajudem a pensar a sustentabilidade de uma forma integral, para estarem presentes no MercadECO. Dado ser um evento alusivo à temática da sustentabilidade, tentamos promover marcas amigas do ambiente, ou seja, que tenham práticas responsáveis na sua pegada ecológica, através da utilização de produtos artesanais saudáveis e/ou biológicos, nacionais ou até mesmo locais. Existiu ainda um espaço para a divulgação e promoção das Associações, que fazem um trabalho louvável nas diversas frentes da sustentabilidade. O conceito alarga-se ainda a outras dimensões do bem-estar mais holístico, porque acreditamos que o primeiro trabalho deverá ser, antes de tudo, um trabalho com o nosso Ser Sustentável, e por isso o CidadeMAIS promove um Espaço Zen, com workshops e terapias alternativas.


segunda-feira, 18 de julho de 2016

Mas afinal para que servem as expectativas?

Custa-nos sempre imenso quando as nossas expectativas saem defraudadas, porque aquele era o nosso plano e a mudança é-nos imposta para algo que não queríamos. 
Mas o que sabemos nós do que é que é melhor? 
E se as expectativas não fossem mais do que um mecanismo que temos para nos mantermos na direção certa, mas que na verdade não nos levam necessariamente ao destino que previmos inicialmente? 
Nem tudo o que esperamos tem que acontecer, e todos sabemos disso. Muitas vezes da pior maneira, com muita pena que os nossos planos não se concretizem. Mas e se as expectativas servissem só para nos mantermos focados no caminho, não estando minimamente ligadas ao destino final? 

Vão surgindo obstáculos, umas portas fecham-se e outras que nem imaginávamos abrem-se, e as nossas expectativas vão mudando, mediante novo conhecimento que adquirimos. E a vida trata-se desta dança, que só a sabe dançar quem estiver preparado para deixar fluir...

 
Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.