segunda-feira, 18 de novembro de 2013

DIAS 11 e 12 - Parque Nacional Tayrona

O 2º PARAÍSO ENCONTRADO NA COLÔMBIA



Bom, o 11º dia começou com muito cansaço, cheia de picadas de mosquito e com alergia ao sol. Fiquei na dúvida se deveria ir para o Parque Nacional Tayrona, ou simplesmente se deveria descansar um dia e ir ao parque no dia solarengo seguinte.
Finalmente decidi ir e decidi muito bem :-)



Fui até ao mercado de Santa Marta para apanhar um bus local. Quando ouvi um homem a gritar para tayrona numa hiace a desfazer-se pensei que se tratasse de um transporte privado, mas depois fui a uma tienda perguntar e aquele era o meu bus para tayrona numa viagem de 1h :-)
Era a única estrangeira no bus. Outra experiência verdadeiramente cultural!


Á entrada do Parque Nacional Natural Tayrona

Chegada a Tayrona há uma caminhada de 2h pela floresta até ao Cabo de San Juan, onde tinha intenção de ir dormir. Tinha lido na net que era o melhor sítio para dormir. Num miradouro em cima do mar.
Caminhada até ao Cabo S. Juan
A caminhada custou, porque fi-la na hora de maior calor e sozinha, mas passado 1h encontrei um casal colombiano e viemos a conversar durante uns 20min de caminhada.


Cabo de S. Juan
Quando cheguei ao Cabo de San Juan, mais propriamente ao miradouro onde ia dormir fiquei perplexa com tamanha beleza!
Há apenas 16 camas de rede (hamacas) no miradouro e são as mais concorridas dentro dos alojamentos baratos, sem ser em cabanas. Mas vale bem a pena! Por 10€ aluga-se uma hamaca no miradouro e pode-se passar a noite ao relento, a ouvir as ondas do mar e os animais da floresta.
O miradouro está completamente envolvido pela água e desta forma todas as redes têm vista de mar :-)
É simplesmente um sonho! É difícil que algum dia vá dormir num sítio tão lindo como este e tão barato!
Vimos o sol a pôr-se e a lua a surgir. Tão depressa.. Impressionante!
E de manhã vimos o nascer do sol. Realmente fantástico!






Quando cheguei ao miradouro reconheci uma rapariga que tinha feito a viagem Cartagena a Santa Marta no bus no dia anterior e foi muito giro. Ela é dinamarquesa e a partir daí passamos a estar juntas.

Miradouro do Cabo S. Juan, onde pernoitei 2 noites
No dia seguinte fizemos a rota até Pueblito, onde vive uma comunidade pequena de indígenas. São 2h de caminhada sempre a subir pela selva. Vimos macacos e outros animais. Estava com medo de ver um dos 4 ou 5 animais venenosos da selva, mas felizmente não vi. Um rapaz francês que se juntou a nós mais tarde,o Viane (está a viajar pela América do Sul há quase 1ano e meio), mostrou-nos a foto de uma rã venenosa que viu no percurso que fizemos.
Bem, o caminho é dos mais difíceis que fiz pelo tamanho das pedras. Houve alturas em que tivemos que escalar rochas e gatinhar. Outras vezes passamos por debaixo de grandes rochas. Mas valeu bem a pena!

Sendero Cabo-Pueblito

Umas partes debaixo das pedras, outras a trepar
Sendero Cabo-Pueblito

Sendero Cabo-Pueblito

























No regresso encontramos este rapaz e mais um guia com um casal e fomos todos juntos. Uma caminhada de 4h no total. Chegamos à praia, ao cabo novamente, e fizemos hidromassagem nas ondas. Que bem que soube! :-)












À noite esperei novamente pela chegada da lua e embora estivesse nublado foi possível vê-la a aparecer e a subir pela segunda vez :-)
Sim, convém dizer que Tayrona é tão belo e selvagem, porque também não há luz nem água canalizada. Apenas existe um gerador que permite ao restaurante cozinhar e haver duches de água não tratada. Por isso se vê tão bem à noite. Porque estamos no meio da selva :-)

A relaxar no "meu quarto" com vista p o mar :)


O anoitecer no miradouro



Os meus companheiros "de quarto" a acordarem com o nascer do sol ;)

Na manhã seguinte acordei às 5h30 novamente para ver e tirar fotos ao nascer do sol.
Mas esta noite ainda foi mais mal dormida que a anterior. Isto de dormir em camas de rede dá cá umas dores de costas! Tenho tudo desaparafusado cá dentro. O que vale é que a próxima noite vai ser num hostel :-)

O amanhecer no miradouro

A saída de Tayrona e a despedida da malta ;)

Foto grupo

Related Articles

2 comentários:

  1. eu também não ia conseguir dormir nessa cama de rede.... mas pela experiência valeria bem a pena :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, foram duas noites ao relento, ao som das ondas e numa paisagem fabulosa! O anoitecer e o amanhecer são maravilhosos!
      Vale bem a pena!

      Eliminar

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.