terça-feira, 12 de novembro de 2013

DIAS 5 e 6 - Eje Cafetero, o click!

AH, AGORA SIM, ESTOU COMO UM PEIXE NA ÁGUA... :-)

Holaaa!

Os 5º, 6º e 7º dias são passados no Eje Cafetero (abaixo envio uma pequena descrição da região).

Cheguei de avião a Arménia às 10h e fui ter ao terminal de bus. A minha companheira Sandra veio de bus ate Arménia e ficamos de nos encontrar e viajar juntas ate Salento.
Na fila do aeroporto para fazer check-in pedi uma informação a uma senhora que também estava na fila. Bem, foi o suficiente para conversarmos e no final ela me ter dado boleia à chegada a Arménia. Trocamos e-mails e ela disse-me que podia ficar em casa dela. Além disso já me queria dar dinheiro para o bus com medo que eu não tivesse cambiado. Que senhora maravilhosa!!
Foi uma surpresa maravilhosa encontrar esta pessoa. Senti-me adotada por ela. Deu-me imensos conselhos e levou-me ao terminal.

À exceção do primeiro dia do aeroporto para Bogotá em que utilizei o táxi, tenho usado sempre o bus local e a pé. As pessoas são maravilhosas e sente-se muita segurança.


Salento, visto de cima
Chegadas a Salento foi a surpresa. Alias, antes de chegar a Salento já tinha percebido que tinha chegado ao paraíso!
A paisagem da zona cafetera é linda! Cheia de palmeiras e muito verde e montanhosa. 
Em Salento ficamos na Plantation House e encontramo-nos com uma rapariga couchsurfer espanhola com quem eu tinha falado antes de vir para a Colômbia.




Sabíamos que íamos visitar os mesmos sítios nos primeiros dias e combinamos encontrar-nos no hostel. E passamos estes dois dias as 3 juntas: eu, a Sandra e a Khonsu.
A khonsu viajou há 2 anos pela Ásia e Austrália sozinha durante 13 meses. Ficou desempregada e aproveitou a fazer algo que desejava há algum tempo. Durante estes 13 meses ela viajou, fez voluntariado e trabalhou para ir financiando a viagem.
Há pessoas de facto muito interessantes!


Finca Orgânica da Plantation House
No primeiro dia fomos a uma finca de café orgânico. Foi neste dia que senti o click da viagem. Foi extremamente rico e pacífico estar naquela finca, a ser conduzida por um rapaz que vivia na cidade e que foi viver para a selva durante algum tempo. A casa onde estivemos foi construída por ele e mais 5 pessoas durante 3 meses. 
Senti-me "completa". Senti-me em paz. É maravilhoso o efeito que a natureza tem em nós..



A famosa truta na companhia da Khonsu e Sandra :)

À noite fomos a um barzito e começamos a conversar sobre os nossos sonhos e a conversa fluiu muito bem. Afinal os medos atacam-nos a todos. A diferença é que uns tentam fazer de conta que não existem e excluem essa parte da sua consciência, outros sabem-no e sentem-no todos os dias mas têm vergonha de falar sobre eles e outros falam sobre isso e exploram essa consciência. Diria que os últimos são os que mais felizes podem ser, mas também os mais infelizes se não aguentarem a pressão...
É um caminho com muitas pedras, por isso muitos preferem não o percorrer. Mas também é difícil ver alguém que tenha a coragem de o fazer e são muito críticos. É duro ver que afinal tudo é possível e que há quem o faça e que já não nos podemos esconder dizendo que não temos sorte. É duro perceber que a "sorte" é construída todos os dias por nós...

Somos todos muito iguais... Mas muito diferentes na forma como queremos fazer esse caminho.

Adorei conhecer estas 2 pessoas e sinto-as como fazendo parte do meu percurso.


No dia seguinte fomos fazer uma rota no Valle de Cocora: 3h a cavalo e 3h a pé. É um grande parque natural que cruza os Andes. Incrível!

As três Mosqueteiras! :)

Início da Rota até Acaime

O próximo desafio será em Pereira, a visitar a primeira Cooperativa de Comercio Justo (em Riosucio).
Apanhei um bus ao anoitecer, às 18h, e numa hora estava em Pereira para ir ter com a Lina, a representante da CLAC na Colômbia.

E que venha o próximo desafio!!! :-) 

Valle de Cocora


Eje Cafetero

El Paisaje Cultural Cafetero –PCC- reúne zonas específicas de 47 municipios y 411 veredas de los departamentos de Caldas, Quindío, Risaralda y Valle del Cauca ubicadas en las estribaciones central y occidental de la Cordillera de los Andes, donde se concentran 24 mil fincas con pequeñas plantaciones de café, en las que cerca de 80 mil personas dedican su vida al cultivo del café.

El PCC demostró un Valor Universal Excepcional que incorpora el esfuerzo humano y familiar, la cultura desarrollada en torno al café, el capital social generado por el gremio cafetero y la coexistencia entre tradición y tecnología. Son estas las razones por las que el Paisaje Cultural Cafetero fue inscrito en la Lista de Patrimonio Mundial de la Unesco, el pasado 25 de junio de 2011.

Área total del Paisaje Cultural Cafetero
Área principal: 141.120 hectáreas
Área principal rural: 140.046 hectáreas
Área principal urbana: 1.074 hectáreas

El Paisaje Cultural Cafetero declarado como Patrimonio Mundial.
El Comité de Patrimonio Mundial indica que el Paisaje Cultural Cafetero posee el siguiente Valor Universal Excepcional para los criterios de evaluación V y VI de dicho organismo:
Criterio (V): Ser un ejemplo sobresaliente de un asentamiento de población, uso de la tierra o del mar, representativo de una cultura (o culturas), o de la interacción entre los pobladores y un medio que se ha vuelto vulnerable por el impacto de cambios irreversibles.
El Paisaje Cultural Cafetero de Colombia es un ejemplo destacado de un paisaje cultural centenario, sustentable y productivo, en el cual, el esfuerzo colectivo de varias generaciones de familias campesinas forjó excepcionales instituciones sociales, culturales y productivas, generando, al mismo tiempo, prácticas innovadoras en el manejo de los recursos naturales bajo un paisaje de condiciones extraordinariamente difíciles. La finca cafetera típica en el PCC se encuentra ubicada en un arduo paisaje de empinadas montañas en donde se articulan la forma y diseño del paisaje cafetero, su tipología arquitectónica y el estilo de vida de sus comunidades. Ellos lograron crear una identidad cultural sin paralelo en donde el aspecto institucional relacionado con el PCC no tiene igual en ningún otro sitio cafetero en el mundo.
Criterio (VI): Estar directa y tangiblemente asociado a eventos, tradiciones vivas, con ideas o convicciones, con obras de arte y literarias de importancia universal.
La centenaria tradición cafetera es el símbolo más representativo de la cultura nacional en Colombia, por la cual el país ha obtenido reconocimiento en el ámbito mundial. La cultura cafetera ha llevado a ricas manifestaciones tangibles e intangibles en el territorio, con un legado único, que incluye entre otros aspectos, la música, la gastronomía, la arquitectura y la cultura, legados que han pasado de generación en generación.
La tipología arquitectónica única de las fincas cafeteras y la mayor parte de los edificios en las áreas urbanas, evolucionó a través del uso de los materiales locales disponibles, en particular la especie nativa única conocida como la guadua angustifolia. El PCC representa una armoniosa integración del proceso productivo, de la organización social y de la tipología de la vivienda, únicos en el mundo y necesarios para el desarrollo de la cultura del café en un área rural tan difícil.


 http://paisajeculturalcafetero.org.co/





Related Articles

0 comments:

Enviar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.