domingo, 1 de agosto de 2010

DIA O - Tamera Contextualização




Um fim de semana para primeiro contacto com a comunidade...

Fui passar este fim de semana a uma grande Eco-Aldeia no Alentejo a fim de conhecer o projecto e conversar sobre a eventual possibilidade de lá fazer voluntariado em Agosto. É a minha primeira visita a uma Eco-Aldeia…

Bem, o conceito de Eco-Aldeia abrange alguns critérios e cada Eco-Aldeia é uma realidade diferente, mas em linhas muito gerais deve tratar-se de uma comunidade que partilha recursos e preocupações ecológicas. Aqui utilizam-se produtos e materiais biodegradáveis e há uma preocupação muito grande quer na construção das casas (utilizar o mínimo de recursos e privilegiar os que estão disponíveis no local, evitando gastos económicos e ecológicos em transporte de materiais), no design do espaço (a casa deve ser colocada num determinado local e com determinadas formas orgânicas, de acordo com as formas da natureza), na agricultura (que deverá ser diversificada, com a plantação de várias espécies que interajam beneficamente entre si, e nunca em monocultura).

Do que percebi a isto tudo chama-se o estudo da "permacultura". As Eco-Aldeias tendem a ser aldeias tecnológicas: tentam ter os seus próprios meios tecnológicos para obter energia eléctrica, água, etc.

Bom, depois disto tudo existem ainda imensas variações de Eco-Aldeia para Eco-Aldeia. No caso de TAMERA, que é uma Eco-Aldeia caracterizada essencialmente por um movimento de paz, não é permitida a exploração de animais ou de pessoas.

Trata-se de uma área de 134 hectares onde vive uma comunidade de cerca de 200 pessoas (24 crianças), essencialmente Alemães e Suíços, activistas pela paz, que se entreajudam nas tarefas necessárias ao serviço da comunidade: agricultura, culinária, carpintaria, tecnologia, etc. 

Zona dos Bungalows
A aproveitar uma varanda confortável ;)

Círculo no "Lugar das Crianças"

Carro "solar" ;)

Tamera ainda não consegue alcançar a auto-sustentabilidade, por isso da energia eléctrica que consome, apenas uma parte é obtida através da energia solar. A restante é através de gerador. 


Cozinha solar

A cozinha experimental utiliza um sistema solar. A água é fornecida através de um aparelho que não sei o nome, mas tem muitos espelhos e a diferença de temperaturas faz accionar um mecanismo. É muita física e muita tecnologia para mim... ;)




Construiram 3 lagos artificiais muito grandes que servem de apoio à comunidade.

Casa de banho "seca"
Casa de banho "seca"








saneamento é feito de forma natural: compostagem. Portanto, existe um buraco fundo, para onde fazem as necessidades, a seguir vai-se pondo palha e serrim de cada vez que se utiliza, e a terra vai fazendo compostagem. Natural, né? ;)


Existe ainda o conceito de "free lovers", que ainda estou a tentar perceber melhor do que se trata... O que percebi é que se supõe que haja um desapego em relação aos sentimentos de posse em relação ao outro. Nesse sentido há que se libertar dos "sentimentos que estragam as relações" - os sentimentos de posse - e portanto as pessoas vivem em plena comunidade. Tudo é de todos.
As crianças têm uma zona só para elas, à parte, mas sempre que querem podem ir para o espaço dos adultos. Os adultos podem interpretar o "free love" como quiserem: podem querer viver numa família monogâmica, ou não. Podem dormir onde quiserem e com quem quiserem. É impressionante como o conceito de "free lovers" é mesmo livre, porque até podem escolher como interpretar o conceito.


Escola, no "Lugar das Crianças"

Produção artística :)

Conhecer melhor o projeto: TAMERA
  
Outras curiosidades interessantes:
   - Fica perto de Odemira, mas andam-se por uns caminhos de terra batida que o GPS não conhece e perde o sinal quando se aproxima de lá ;)
   - Há rede de telemóvel nalguns locais
   - Existe muito pó em todo o lado. Digamos que é parecido com o Andanças ;)
   - A comida é vegetariana e proveniente da agricultura deles, e é simplesmente maravilhosa com aqueles temperos - muitas pessoas da comunidade têm uma barriguinha ;)
   - As crianças têm a sua própria escola lá dentro e mais tarde podem fazer equivalência ao "ensino normal" - note-se que quase toda a comunidade tem alguma licenciatura via ensino formal e percebem imenso de física, engenharia e são extremamente criativas e artísticas.
   - Existe um membro da comunidade que é médico e dois veterinários

Parque de estacionamento - à chegada
Bar convívio :)

















Related Articles

0 comments:

Enviar um comentário

Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.