domingo, 22 de agosto de 2010

Reflexão da experiência em Tamera

Cá estou eu de novo com novidades...

Tamera foi de facto uma fonte de inspiração para o meu percurso. É muito bom vivermos sem algumas coisas a que estamos habituados, para depois também podermos valorizar o que temos e adoptar outras posturas para a nossa vida. Embora aquela vida tão comunitária não seja o meu ideal de vida neste momento, há muita coisa que eu posso adaptar ao meu estilo de vida.
Os últimos dias foram muito intensos. As relações neste ambientes, quase diria eu de "Big Brother", são muito intensas, porque afinal estamos lá todos muito isolados, e aquelas pessoas passam a ser a nossa família naquele momento.
Fiz alguns amigos :)

Elena, a italiana super companheira :)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

DIA 5 - Primeiro contacto com os princípios da Permacultura

Ola pessoal!

Aqui tem estado um calorão! Mas pronto, ontem trabalhei na cozinha e foi bom, porque passa corrente de ar e não apanhei aquela caloraça toda. Mas esta noite arrefeceu muitíssimo e tive frio! Foi mesmo muito frio para dormir nas tendas comunitárias, porque são abertas.
De tarde tivemos uma palestra com uma senhora espectacular, que nos explicou a ecologia em Tamera e o projecto de investigação que está a desenvolver. Bem, ela tem uma energia tão positiva! E explicou coisas que eu não sabia, nem tinha grande ideia... Alguns pontos:
Lago
. Eles construíram 3 lagos, que basicamente são retenções de água da chuva. Isto porque prevê-se que daqui a 20 anos exista um anel de desertificação no sul, que abrange muitos países. Construíram-nos com linhas ondulatórias, porque são essas as formas da natureza, e com diferentes profundidades. Isto faz com que os peixes tenham possibilidade de escolher as zonas que preferem e que possam sobreviver diversas espécies diferentes. Depois, também faz com que a água circule automaticamente por causa das diferenças de temperatura que existem. Elas existem exactamente pelas diferenças de profundidade. E desta forma a água renova-se automaticamente.
Depois vedaram totalmente uma parte dos lagos, para a água não se perder e não vedaram outra parte, para a água perder-se e infiltrar-se no solo, combatendo assim a desertificação.

Lago


. O que acontece é que o solo está muito compactado e não consegue absorver a água. Por isso existem tantas inundações... a água escorre dos campos sem ser absorvida. Uma das razões para isto acontecer é a criação intensiva de animais para consumo. Os animais tendem a ir para debaixo das árvores por causa da sombra e compactam muito o solo com o peso do corpo. O solo não consegue suportar. Fica compactado e não consegue absorver água. Para além disso os animais nestas quantidades excessivas dão cabo de qualquer sistema ecológico e das plantas que existem à volta, que serviam de abrigo a outros animais. E por isso extinguem-se outros animais... e por aí fora...
Também por esta razão se diz que se todos fossemos vegetarianos haveria comida para toda a gente, em todos os lugares do mundo...

. Ela fala também na plantação de multiculturas e que as próprias plantas são o remédio de umas e outras. O importante é a diversidade, porque vai proporcionar ambiente saudável para todas as plantas. 
Por exemplo, posso semear uma planta que necessita de muitas raízes, mas que também dá bons nutrientes para outra planta. Assim evito qualquer tipo de vitaminas e medicamentos externos nas plantas. É um efeito de simbiose brutal!

. Falou também no problema dos eucaliptos. Na perspectiva dela cortar não é solução, até pelo tamanho das raízes. Então será cortar um pouco do tronco e plantar um tipo de cogumelos que é como uma peste, que se alastra e vai tirar os nutrientes que iriam para o eucalipto, acabando este por morrer. Para além disso, estes cogumelos são óptimos, o que dá logo dois grandes ganhos ;)
Outra solução tem a ver com a água. Fazendo com que a água não chegue aos eucaliptos, mas já não percebi tão bem como o sistema funcionaria...


É maravilhoso como a natureza funciona tão bem! Outra coisa que ela falou nas multiculturas é aproveitar os porcos e pássaros, já que são excelentes transmissores e propagam sementes. A melhor semente é a que o porco dá depois de a ter comido e defecado no solo. Essa será muito melhor do que as outras que lá colocamos. E mais barata! =)

E pronto, hoje terei mais um dia com os tomates, a corta-los e a fazer polpa.


Beijinhos e continuação!!!!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

DIA 3 - Tamera Click!!

Hello from Tamera!!!!

Antes de mais, muito obrigada pelas vossas respostas! É bom sentir que estamos em contacto :)

Bom, este dia foi muito muito especial!
Estamos naquele ponto em que começamos a fazer amizades...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

DIA 1 - Tamera Chegada


Já estou em Tamera a fazer voluntariado. Devo ficar por cá durante uma semana, que na terça feira da próxima semana vou com o meu pai para o Algarve passar uns dias.

Aqui temos computadores e Internet :)

O nosso quarto
Estou a dormir numa tenda comunitária de 16 camas, mas só estamos 6 pessoas nessa tenda. Note-se que as camas são compostas por 4 tijolos, uma colchonete e um estrado de madeira. Esta noite não dormi muito bem, porque a colchonete é estreita e se eu me virava ficava de fora da cama. E como os tijolos são altos não queria cair...

A comida aqui é óptima! Acho que vou engordar... A alimentação é vegan, o que quer dizer que é tudo vegetariano: não comem nem ovos, nem nada de origem animal. Tem tudo um sabor especial, muito gostoso.

Círculo das Pedras
Hoje de manha, às 06h45 fomos ao círculo das pedras. É um local de meditação e as pessoas só lá vão à segunda feira. É para desejar que a semana corra bem e meditar. O local é brutal! Tem imensas pedras gigantes no cimo de um monte.

A cortar tomates
Depois disso, às 09h00, fomos fazer polpa de tomate de conserva. Cortamos os tomates, vão a cozinhar no fogão solar com sal e oregãos e depois põe-se num recipiente bem quente e está pronto!

A fazer as conservas na cozinha solar

De tarde estivemos a conhecer-nos, a falar de cada um e o que é para nós um peace worker.

Agora estou à espera do jantar, que é às 19h00.

Bem, de resto as pessoas são muito simpáticas aqui. Acolhem bem, mas não aborrecem.
Hoje estão 40ºC e está um calor horrível. É suar desde que se levanta, até que se levanta no dia a seguir... Nem durante a noite tem sido fresco...

Mas pronto, estou a gostar muito desta experiência. Aqui transpira-se tranquilidade, harmonia, e os sons da natureza são brutais à noite e de manhã.
 
Conhecer melhor o projeto: TAMERA

domingo, 1 de agosto de 2010

DIA O - Tamera Contextualização




Um fim de semana para primeiro contacto com a comunidade...

Fui passar este fim de semana a uma grande Eco-Aldeia no Alentejo a fim de conhecer o projecto e conversar sobre a eventual possibilidade de lá fazer voluntariado em Agosto. É a minha primeira visita a uma Eco-Aldeia…

Bem, o conceito de Eco-Aldeia abrange alguns critérios e cada Eco-Aldeia é uma realidade diferente, mas em linhas muito gerais deve tratar-se de uma comunidade que partilha recursos e preocupações ecológicas. Aqui utilizam-se produtos e materiais biodegradáveis e há uma preocupação muito grande quer na construção das casas (utilizar o mínimo de recursos e privilegiar os que estão disponíveis no local, evitando gastos económicos e ecológicos em transporte de materiais), no design do espaço (a casa deve ser colocada num determinado local e com determinadas formas orgânicas, de acordo com as formas da natureza), na agricultura (que deverá ser diversificada, com a plantação de várias espécies que interajam beneficamente entre si, e nunca em monocultura).

Do que percebi a isto tudo chama-se o estudo da "permacultura". As Eco-Aldeias tendem a ser aldeias tecnológicas: tentam ter os seus próprios meios tecnológicos para obter energia eléctrica, água, etc.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Acerca do Blogue

Este blogue foi criado para partilhar e integrar as viagens e experiências que tenho feito pelos projetos de desenvolvimento sustentável: sejam eles mais de cariz social, económico, ambiental e/ou espiritual. Trata-se de uma compilação de experiências de vida não formais, que são de uma riqueza inolvidável para o desenvolvimento pessoal e profissional.

Segue os princípios de uma cultura permanente: cuidar das pessoas, cuidar da terra e partilhar excedentes, pretendendo ser, assim, um espaço dedicado à vida saudável, para o corpo e para a mente, despertando cada um para uma vida mais sustentável, com mais harmonia e felicidade.


Estão desde já convidados a fazerem parte desta viagem e juntos explorarmos os mundos do desenvolvimento sustentável.

Venham daí ;)

Raquel Ribeiro - Ver Perfil Completo
Raquel Ribeiro. Com tecnologia do Blogger.